Caminhos Portugueses para Santiago de Compostela

Os Caminhos da Fé em Portugal

  • Sou Brasileiro
  • Segurança e Conforto
  • Serviço Privado
  • 24/7 Suporte durante a estadia

Os Caminhos Portugueses para Santiago de Compostela, percorridos desde o século XII, integram a teia de caminhos para Compostela, um dos fortes sinais de identidade da cultura europeia medieval.

Os principais Caminhos Portugueses para Santiago de Compostela, que tiveram início no séc IX, mas tornaram-se mais populares com a reconquista cristã e a fundação da nacionalidade, seguiam de perto o traçado das vias romanas. Alguns reis portugueses fizeram doações para os peregrinos serem tratados em localidades como Penajóia (Lamego), Canavezes, Vila Nova de Cerveira, Ponte de Lima, Guimarães e Chaves.

Os principais Caminhos Portugueses para Santiago de Compostela dividem-se por vários percursos, de que assinalamos os mais frequentados na Idade Média:

Os CAMINHOS DO NORTE partem do Porto ou Braga e apresentam várias derivações:

  • o Caminho litoral, do Porto até Valença pelo litoral;
  • o Caminho primitivo ou central, do Porto segue quase em linha reta até Valença por Barcelos e Ponte de Lima.

O CAMINHO INTERIOR partia de Viseu para Lamego, Vila Real e Chaves e juntava-se depois à Via da Prata (via romana, antiga rota comercial que atravessava o oeste da Espanha de norte a sul e era usada pelos peregrinos de Sevilha até Santiago);

O CAMINHO CENTRAL (com dois traçados) passa por Coimbra e funciona também, tal como os outros, de caminho de peregrinação a Fátima. Na realidade, há peregrinos que vêm de sul até Fátima e daí seguem para Santiago de Compostela, tal como há peregrinos vindos do Norte que, chegados a Santiago de Compostela, continuam para Fátima.

Os Caminhos de Santiago são sempre sinalizados com setas amarelas e em alguns casos com uma vieira amarela (semelhante a uma estrela) sobre fundo azul. Existem albergues para peregrinos ao longo do Grande Caminho Central Português que tem início em Lisboa, de todo o Caminho (central) do Norte e ainda ao longo do Caminho Interior, que parte de Viseu.